É um projeto com a duração de 36 meses que começou em julho de 2016 e que terminará em 30 de Junho 2019. 

O grande desafio deste projeto é compreender os processos biofísicos e humanos que explicam a ocorrência de incêndios extremos. O objetivo é desenvolver estratégias mais eficientes de prevenção, preparação do risco de incêndio e criar sociedades e ecossistemas mais resilientes. Os incêndios extremos não são uma inevitabilidade, pelo que as comunidades e as sociedades têm que prevenir e se preparar, atempadamente, para este tipo de eventos. A ideia chave do projeto assenta no conceito inovador de "fire smart territories", através de uma abordagem social-ecológica em todas as etapas da gestão dos incêndios, principalmente as de prevenção e preparação.

O projeto envolve 8 instituições da Austrália, Canadá, França, Itália, E.U.A. e Portugal.